9 de abr de 2012

Ciclo do Feminino - ARACAJU



lua tem seus ciclos que renovam e inovam a cada um deles. A lua se permite minguar. Recolhe-se para se tornar nova. Cresce, aparece e brilha cheia e esplendorosa. Assim, somos nós, mulheres cíclicas que como a lua, renovamo-nos constantemente!
Vivemos diferentes papeis sociais. Somos filhas, mães, esposas, donas de casa, profissionais, em um mundo que nos cobra cada vez mais a perfeição. Será que temos tempos de olhar e escutar nossos próprios ciclos internos?

Convido você a mergulhar  no Ciclo do Feminino para um encontro simbólico, com arquétipos femininos, para vivenciarmos os ritos esquecidos propiciando uma religação com sagrado em nós.



3 de mar de 2012


 O Ciclo do Feminino ano II


lua tem seus ciclos que renovam e inovam a cada um deles. A lua se permite minguar. Recolhe-se para se tornar nova. Cresce, aparece e brilha cheia e esplendorosa. Assim, somos nós, mulheres cíclicas que como a lua, renovamo-nos constantemente!
Vivemos diferentes papeis sociais. Somos filhas, mães, esposas, donas de casa, profissionais, em um mundo que nos cobra cada vez mais a perfeição. Será que temos tempos de olhar e escutar nossos próprios ciclos internos?

Convido você a mergulhar  no Ciclo do Feminino ano II para um encontro simbólico, com arquétipos femininos, para vivenciarmos os ritos esquecidos propiciando uma religação com sagrado em nós.


21 de jul de 2011

A Bela e Fera

Continuamos a nossa dança.

A Ostra e o Vento 

Chico Buarque

Vai a onda
Vem a nuvem
Cai a folha
Quem sopra meu nome?
Raia o dia
Tem sereno
O pai ralha
Meu bem trouxe um perfume?
O meu amigo secreto
Põe meu coração a balançar
Pai, o tempo está virando
Pai, me deixa respirar o vento
Vento
Nem um barco
Nem um peixe
Cai a tarde
Quem sabe meu nome?
Paisagem
Ninguém se mexe
Paira o sol
Meu bem terá ciúme?
Meu namorado erradio
Sai de déu em déu a me buscar
Pai, olha que o tempo vira
Pai, me deixa caminhar ao vento
Vento
Se o mar tem o coral
A estrela, o caramujo
Um galeão no lodo
Jogada num quintal
Enxuta, a concha guarda o mar
No seu estojo
Ai, meu amor para sempre
Nunca me conceda descansar
Pai, o tempo vai virar
Meu pai, deixa me carregar o vento
Vento
Vento, vento

30 de abr de 2011

Começou a dança,

E nesta ciranda de menina-mulher, uma explosão de vermelho brinca com os brancos, beija todos os negros, e todas as Brancas (em cada uma de suas fases) nos torna mais coloridas.
E o mistério estará sempre lá, feminina, menina, em todo lugar.

Foi muito bom compartilhar com cada uma de vocês esse Ciclo!
Nos vemos em junho!!


28 de abr de 2011

A cada uma que está começando esse Ciclo.


Bem vinda ao CICLO que agora se inicia.
Você é única, e por isso a sua presença traz a este grupo uma cor especial.
Que bom que você está aqui.
O nosso carinho,
Lidia  e Roberta


19 de mar de 2011

O Ciclo do Feminino - Curso

 A lua tem seus ciclos que renovam e inovam a cada um deles. A lua se permite minguar. Recolhe-se para se tornar nova. Cresce, aparece e brilha cheia e esplendorosa. Assim, somos nós, mulheres cíclicas que como a lua, renovamo-nos constantemente!

Vivemos diferentes papeis sociais. Somos filhas, mães, esposas, donas de casa, profissionais, em um mundo que nos cobra cada vez mais a perfeição. Será que temos tempos de olhar e escutar nossos próprios ciclos internos?

Convidamos você a mergulhar conosco no Ciclo do Feminino para um encontro simbólico, com arquétipos femininos, para vivenciarmos os ritos esquecidos propiciando uma religação com sagrado em nós.





Para maiores informações - acordalua@gmail.com


14 de mar de 2011

Géia

Caribé

Eu, Géia, tão totalmente grávida, transbordando meus rios, no romper da bolsa, hora do parto. Leite e sangue alimentando a terra. Parindo, parindo, terna e eterna. O impulso da vida fazendo brotar o que já é.

Eu Géia, grávida de tudo que ainda não pude parir. A certeza veio e se derramou da minha boca em cascatas de alívio e plenitude. E agora já não contenho o fluir das minhas águas. Êxtase criativo.



                                                                                                                                                                                     


*Géia Gaia, Gea ou Gê, a deusa Mãe uma das primeiras divindades a habitar o olimpo. É Terra elemento primordial e  de uma imensa potencialidade geradora. O feminino  terra, natureza - a Grande Mãe, que acolhe, 
gesta, nutre, proporciona vida e forma crescimento, cuidado e  fertilidade.


Lídia & Roberta.

Como a Geia  se manifesta em você?  Você percebe a presença desse arquétipo atuando em sua vida? 

Deixe seu comentário